Techné: as regras de ouro


por Keice Granzotto Casarri

A palavra técnica deriva do grego techné, que significa o fazer artístico, criar, produzir, ter engenhosidade e habilidade. Conforme Abbagnano (1999), o significado mais antigo desse termo indica a compreensão de qualquer conjunto de regras para dirigir, eficazmente, uma atividade.  

Técnica padronizada é a organização dos códigos pré-estabelecidos. A ação pedagógica inicial para o ensino da dança de salão é basear o aprendizado neste tipo de técnica, que abrange diversos temas.  Abaixo,  algumas regras de “ouro”:

  • Na dança de salão são os olhos nos olhos, um dança com o outro e para o outro. O contato corporal deve ser mantido quase todo o tempo;
  • A postura é o elemento chave para o equilíbrio e controle durante a dança. Há um posicionamento adequado para quase todas as partes do corpo. Ter um andar rítmico, carregar o peso do corpo com leveza, sustentar os braços e mantê-los na linha do ombro, manter os cotovelos em um ângulo de 45 graus, abrir o peitoral, não repousar o corpo sobre o do parceiro, não mexer excessivamente o tronco e não olhar par os pés são atitudes que criam um deslizar suave e estético. Confiança e elegância é o que devem transmitir os dançarinos;
  • Condução é uma habilidade essencial. O cavalheiro é quem conduz e tem poder de decisão. É ele quem diz quais passos serão realizados e controla o deslocamento no salão.  A dama precisa estar entregue e  se deixar conduzir. Conduzir exige concentração e requer pensamento antecipado. O cavalheiro não pode ficar na dúvida sobre que passo realizar, caso contrário acabará por confundir a dama;
  • A etiqueta social ensina boas maneiras ao dançar. O deslocamento no salão deve respeitar o sentido anti-horário. Não é polido esbarrar em outros pares ao dançar. Ao levar uma dama a algum local para dançar, o cavalheiro deve dançar a primeira e a última música com ela e permitir que as demais ela dance com quem quiser. Antigamente, era privilégio dos cavalheiros convidarem uma dama para dançar, hoje a dama também pode abordar o cavalheiro. O parceiro que foi convidado aceita ou simplesmente recusa o convite, mas, se aceitar, é de bom tom que permaneça dançando até o fim da música. Ao final da dança, o cavalheiro agradece e leva a dama até seu lugar.
Anúncios

4 Respostas

  1. Oi boa noite! Adorei o seu blog e tudo o que vc escreveu é a verdade. Se todos na pista seguissem estas regras básicas com certeza seria mais facil dançar. Que mais pessoas descubram o poder da dança, beijos.

  2. Olá, Keice!

    Delícia seu Blog.
    Tenho uma teoria… sobre a condução do cavalheiro!
    Eu tento dançar não como se estivesse conduzindo a dama, não como se estivesse impondo minha vontade…
    … Mas como se estivesse convidando a dama para me acompanhar! Danço o tempo todo como se estivesse jogando flores na pista, para que minha sugestão de passo seja irresistível!
    Um beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: